EcoFotos | Viaje pelo mundo da fotografia

[GO] Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros está a 220 km ao norte de Brasília e é composta pelos municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul, São João da Aliança, Teresina de Goiás. O parque nacional da Chapada dos Veadeiros com 65 mil hectares foi fundado em 11/01/61 pelo então presidente JK e seu acesso é através de São Jorge.

A vegetação característica da região é o cerrado de altitude e suas variações. Os principais atrativos são a beleza das cachoeiras de águas límpidas e a riquíssima biodiversidade. Como a altitude média é 1.300 m é normal haver noites frias durante outono e inverno. O clima é bem distinto com um verão chuvoso e inverno seco.

:::

Confira a galeria de fotos dessa viagem

1º dia – Cachoeira dos couros

Antes mesmo de tomar o café da manhã na pousada Camelot, eu já estava fotografando os tucanos que fazem parada por ali. Em seguida o Deni, guia da Alternativas Ecoturismo, veio me apanhar e partimos em meu jipe juntamente com mais duas turistas em direção às cachoeiras do Couro. Também se juntou ao grupo um casal que estava em São Jorge.

Após algumas dezenas de quilômetros deixamos os carros e começamos caminhar pelo cerrado. Eu fiquei impressionado com a quantidade e a beleza das flores. Praticamente não andava mais de 10 minutos sem parar para fotografá-las. Não bastando as flores, havia uma variedade enorme de tons de liquens nas pedras.

Logo em seguida começamos a caminhar margeando as corredeiras do rio dos couros e a primeira parada foi para ver as cachoeiras da franja, bujão e parafuso. Impossível não entrar na água e curtir bons momentos da vida. Após um lanche apreciando as dádivas da natureza iniciamos o retorno parando na cachoeira da muralha. Dessa vez eu fui o único a tomar outro banho.

No retorno para Cavalcante fizemos o característico “almojanta” da região no restaurante do Hotel Tradição, onde Da. Iracena preparou uma saborosa comida caseira.

2º dia – Cachoeiras do prata e Kalungas

Mais um dia acordei cedo para ver os tucanos e na seqüência o guia Joni me apanhou para irmos para Cavalcante – 90 km de Alto Paraíso. A programação era conhecer as cachoeiras do Prata. Chegando a Cavalcante o guia local Daniel já nos aguardava juntamente com a Mônica e Hélio, um senhor de 66 anos mostrando que para ecoturismo não há limite de idade.

Após 60 km de estrada de terra bem conservada, deixamos o carro e começamos a caminhada. A seqüência de cachoeira é lindíssima e foi difícil decidir em qual parar para um banho. Numa das paradas o Joni deu uma demonstração de coragem saltando de cerca de 10m num dos poços.

Nos trechos de corredeira fiz belas imagens da erosão das águas nas rochas. Quando decidimos voltar o tempo já estava fechando e fomos pegos no caminho com uma chuva forte. Incrível como rapidamente a estrada estava cheia de água. Não demorou muito e o sol já estava brilhando novamente.

No caminho de volta passamos pelo quilombo dos Kalungas – Engenho II. Uma comunidade que fugindo da escravidão viveu isolada por muitas décadas e que ainda hoje vive de forma muito simples com uma agricultura de subsistência. Conversamos com o Sr. Cirilo que é o representante da comunidade.

Na seqüência passamos pela cachoeira da Ave Maria e para encerrar o dia fizemos outro “almojanta” no restaurante Sol da Chapada. De volta para Alto Paraíso era vez de trocar de pousada e me transferi para a aconchegante Casa Rosa.

3º dia – Cachoeira do macaco

Como a pousada tinha um vista para o nascer do sol, acordei muito cedo para recepcioná-lo – valeu a pena. Muitas araras, tucanos e outras aves também fazem uso do pomar da pousada para alimentar-se pela manhã. Após o café fui apanhar o Joni e o lanche com a Vidya para cumprir a programação do dia: cachoeira do macaco. Esse dia foi interessante, pois o acesso a essa cachoeira só é possível com 4×4, justamente o que estava esperando J

Muitos sacolejos depois deixamos o carro e iniciamos a caminhada rio abaixo parando para fotografar as inúmeras quedas d’água, uma mais linda que a outra. Escolhemos um local tranqüilo para o lanche e um bom banho.

Na volta para Alto Paraíso fui conhecer a gota, famosa construção da cidade onde se realizam apresentações de música.

Uma recomendação para o jantar é a pizzaria Oca Lilá, uma filial da famosa pizzaria paulistana Cristal.

4º dia – Rapel água fria – cach Almécegas I e II – arvorismo

O dia foi bastante agitado com uma programação super ativa. Logo pela manhã fui fazer um rapel na cachoeira água fria. A cachoeira é fantástica com seus 70m de queda. Por motivos de logística fizemos o rapel apenas na primeira parte que é de 40m. O Sassá e o Deni da Alternativas Ecoturismo chegaram antes para a montagem do equipamento. Após o rapel desci pela lateral da cachoeira para fotografá-la de frente – fantástica.

Logo em seguida parti com a guia Luzimara para conhecer as cachoeiras de Almécegas I e II que ficam na estrada para São Jorge. Incrível a beleza da Almécegas I. Na seqüência fui para o Portal da Chapada onde o guia Acauã da Travessia Ecoturismo me aguardava para fazer arvorismo. Trata-se de uma adaptação esportiva de uma técnica utilizada por biólogos para estudar a vida nas copas das árvores

Essa foi uma experiência totalmente nova para mim e adorei. O nível de dificuldade vai aumentando e para fechar com chave de ouro a descida é uma tirolesa de 50m. Resumindo: o dia foi mais do que agitado J

5º dia – Parque nacional e vale da lua

A programação do dia foi conhecer as atrações do parque nacional. Dentre elas a janela, salto 80 e salto 120. A entrada é através de São Jorge, uma simpática vila ainda sem calçamento e com várias pousadas e lojas de artesanatos. O Deni estava comigo e lá reencontramos o casal Henrique e Marina e a guia Luzimara.

O trecho de carro é pequeno e logo já estávamos caminhando novamente pelas variações do cerrado. O ponto alto do passeio é a vista para as cachoeiras Salto 80 e 120 através das pedras, o que caracteriza a Janela. Lá de cima é possível ver uma boa extensão do parque e suas belezas.

A próxima parada foi na cachoeira do abismo, que na ocasião estava com pouca água. Retornamos para São Jorge e fomos visitar as incríveis formações rochosas do vale da lua.

Incrível imaginar o tempo que a natureza levou para esculpir todas aquelas obras de arte. No final da tarde retornando para Alto Paraíso passamos pelo jardim de Maytrea com uma luz maravilhosa.

6º dia – Sertão Zen e mountain bike

Como era meu último dia na chapada a programação foi escolhida a dedo: sertão zen com o guia Acauã. Trata-se de uma caminhada de cerca de 5-6 horas por campos de altitude com muitas flores, capins, liquens e uma seqüência de cachoeiras maravilhosas, sendo que a última despenca de mais de 100 metros até o vale do macaco.

O Acauã deu um show a parte e após escalar as pedras da cachoeira saltou de mais de 10m no poço.

No final da tarde ainda arrumamos um tempinho para uma trilha de mountain bike nos arredores Alto Paraíso.

Dicas

A chapada muda a cada estação do ano e uma boa época é a partir de maio/junho onde as cachoeiras ainda têm um bom volume d’água, as chuvas já pararam e a temperatura é amena. Apesar de estar no centro oeste as noites são frias, não esqueça do agasalho.

Programe no mínimo uma semana para ter uma boa idéia da região. A cidade oferece muitas opções de souvenir e se gostar de cristais, prepare-se para voltar com as malas bem mais pesadas. Lembre-se das regras do ecoturismo, pois esta é uma área de grande visitação.

——
Serviço

Agência Alternativas Ecoturismo
(62) 3446-1000
Alto Paraíso de Goiás – GO

Agência Travessia Ecoturismo
(62) 3446 1595
Alto Paraíso de Goiás – GO

Pousada temática Camelot inn
(62)3446-1581 / 3446-1449
Rodovia GO-118, km 168 (entrada de Alto Paraíso)

Casa Rosa – Pousada das Cerejeiras
(62) 3446-1319 / 3446-2065
Rua Gumercindo Barbosa, 233
Alto Paraíso de Goiás – GO

Restaurante Sol da Chapada
(62)9655-5242
Próximo praça central
Cavalcante – GO

Hotel Tradição
Avenida Ary Valadão, 375
(62) 3446-1202
Alto Paraíso de Goiás – GO

Oca Lila Pizzaria
Av. João Bernardes Rabelo, 499
(62)3446-1006
Alto Paraíso de Goiás – GO

Sabor do Paraíso pão de mel
Lanches de trilha
Vidya – (62)3446-2211

Leia os 12 Comentarios sobre esta viagem

Henrique Barbosa disse:
10/01/2010

Oi Adilson,

sou o Henrique, que esteve contigo na Chapada dos Veadeiros, fazendo o rappel da Água Fria e o passeio no Parque Nacional. Espero que esteja tudo bem.

Não sei se você se lembra, mas naquela viagem chegamos a conversar um pouco sobre a sua experiência no Kilimanjaro, que me chamou muito a atencao. Pois bem, estou me programando para ir pra la esse ano, como presente que me darei pelos trinta anos.

Estou comecando a futucar a internet e o primeiro lugar em que fui buscar informacoes foi aqui no seu site. Parabens, excelentes textos e dicas, além das fotos é claro!

Voltarei com novidades, para trocarmos uma idéia, assim que avancar com a pesquisa.

Forte abraco.

Henrique

ecofotos disse:
10/01/2010

Olá Henrique, puxa que surpresa.
Legal saber que manteve o sonho e que está prestes a realizá-lo. Se precisar de mais dicas pode me procurar novamente sim. Tenho um casal de amigos que este lá no ano passado e tem informações mais recentes, pois estive lá em 1998.
Fico no aguardo, um grande abraço

Lucélia disse:
20/01/2010

eu sou bióloga e adoro fotos da natureza. As fotos da Chapada são espetaculares; poucas vezez vi fotos tão lindas. Bom mas eu gostaria de me aventura na fotografia tb. Então, o que é preciso de equipamentos para um iniciante? Existe um curso específico para quem quer fotografar a natureza?

ecofotos disse:
22/01/2010

Olá Lucélia
Obrigado pela visita e pela mensagem. Bem, para iniciante eu indicaria um modelo de entrada do tipo reflex, ou seja, que permite o intercâmbio de lentes. As marcas melhores são Canon e Nikon. Comece com uma lente básica e depois incremente conforme suas necessidades. Algums modelos seriam: Canon EOS Rebel XS 10.1MP – R$ 2000 ou Nikon D300 10.2MP R$ 2.400. Preços aproximados em lojas de SP.
Espero ter ajudado.
Abraços

Lucélia disse:
02/12/2010

Obrigada atrasado pelas dicas de equipamento.
Quero me aventurar assim que eu puder pela fotografia de natureza. abraços

Jason disse:
07/08/2011

Hello Adilson…cheguei no seu Blog quando procurei imagens sobre a Chapada dos Veadeiros…puxa mano…que fotos maravilhosas…gostei muito mesmo…eu sou novato nesse “negócio” de viagem, mas, tenho sido muito influenciado por muitos blogs como o seu…e já estou programando levar toda minha família para muitas viagens pelo Brasil, e quem sabe pelo mundo… Abraço!!! Boas Viagens!!!

Allan Jackosn disse:
25/03/2012

ola a todos. Bom foi uma grande surpresa pra encontrar este site, eu faço turismo pela região todos os anos e faço questão de levar toda minha familia eu adorei o site pois a tres anos vou ao parque nacional da chapada dos veadeiros mas sempre que voltava para casa procurava um site que pudesse me dar tudo de la mas nunca encontrava ao criador do site esta de parabens adorei as fotos. Espero poder voltar la este ano pra aproveitar tudo o que a natureza tem pra nos oferecer. boa tarde a todos

Marcelo Santos disse:
11/06/2012

Olá Adilson,

gostaria de agradecer pela sua paciência em atualizar este blog com fotos espetaculares. Eu como todos que visitam seu blog, sou apaixonado pela natureza e curso Geografia na PUCRS, e neste momento estava pesquisando imagens para subsidiar meu trabalho de Geomorfologia e encontrei fotos ótimas que posso aproveita, com sua autorização é claro!
Desde já agradeço e continue clicando este mundo de maravilhas naturais!
Marcelo J. Santos
Geografia – PUCRS

ecofotos disse:
13/06/2012

Olá Marcelo
Grato pela visita e msg. Ok em usar alguma imagem para fins escolares.
Grande abraço

ecofotos disse:
24/06/2012

Olá Marcelo
Obrigado pela visita e msg. Eu comercialio minhas imagens, mas neste caso não vejo problemas.
Abs

Marco disse:
30/01/2015

Ola gostaria de fotografar no Vale da Lua. Preciso de uma autorização?

Admin disse:
28/02/2015

Olá Marco
Quando fui não era preciso. Creio que não, pois alguns amigos acabaram de voltar de lá com muitas fotos.
Abs

Participe! Comente aqui