EcoFotos | Viaje pelo mundo da fotografia

[MG] Crazy Trip 2005

Essa foi minha segunda participação no Crazy Trip, uma viagem aventura organizada pelo Mazinho da Tribo do Pedal. Para esse ano a região visitada também foi no sul de Minas num roteiro muito bonito com cerca de 300Km com muita paisagem, estrada de terras, poucos trechos de asfalto e muita curtição para os participantes.

Nos três primeiros dias haviam opções de roteiros mais curtos para quem não estava afins de passar o dia todo pedalando.

:::

Confira a galeria de fotos dessa viagem

Mais uma vêz tivemos o apoio feito pelo Anderson e o Luis, mas devido ao bom tempo e preparo dos bikers praticamente não tiveram que levar ninguém. Quem ralou o tempo todo na trilha foi o Mazinho que se desdobrava de moto indo e voltando várias vezes para confirmar que todos estavam bem e não havia nenhum desgarrado.

Apesar do trajeto estar muitíssimo bem planilhado, tanto em papel como em tracklog para GPS, tivemos alguns descuidados que se encantaram tanto com o visual que simplesmente esqueceram de olhar para a planilha. Dentre eles, eu. Porém, me dei conta rápido e só pedalei uns 4 km a mais. Teve gente que pedalou mais de 15 km.

1º dia – Itutinga (BR265) à Carrancas – 71 km

Saimos de Sampa na quinta de madrugada num ônibus fretado com os 28 participantes e logicamente as bikes no bagageiro chegando em Itutinga cerca de 8h da manhã. Tomamos um bom café e ainda andamos alguns kilometros de ônibus.

Como a estrada estava com muito barro impedindo o ônibus de prosseguir a ordem foi dada: podem descer e preparar as bikes. Não precisou falar duas vezes, depois de mais de 7h de ônibus não víamos a hora de começar o pedal.

Quase interditamos a estrada para montar as bikes e partimos numa linda manhã de sol, temperatura agradável, e muito visual para curtir. A maior parte do trajeto foi de estrada de terra, um pequeno trecho de asfalto e o trecho final passando por uma região que me lembrou muito a Serra da Canastra: vegetação baixa, muitas pedras e um visual incrível do vale. Passamos pela Cachoeira da Esmeraldo, onde tivemos tempo para um descanso e até um banho.

Por volta das 17:30h chegamos em Carrancas e nos hospedamos na simpática pousada das Candeias. Para os mais animados ainda era hora de dar uma revisada na bike, limpar e lubrificar, pois o dia seguinte seria ainda mais longo. Após o merecido banho, um passeio pela cidade para irmos até o restaurante para o jantar. Como ninguém é de ferro, 22h quase não tinha ninguém acordado.

2º dia – Carrancas à Três Corações, passando por São Tomé das Letras – 111 Km

Café da manhã às 7h e primeiro grupo saindo antes das 8h. Esse seria o dia mais longo da série: 111 km até Três Corações e a passagem pela lendária São Thomé das Letras. O dia também ajudou muito com sol e um friozinho que ajudava não perder muita água suando.

Chegamos em São Thomé por volta das 14h, tomamos um lanche, alguns até almoçaram e partimos para o trecho de 40 km asfalto até Três Corações. Aí quase tive um acidente, pois um maluco de caminhão invadiu minha faixa para não bater num carro que freiou bruscamente na sua frente no sentido contrário. Felizmente só um susto.

O trecho final foi um revezamento para ver quem chegava primeiro no Hotel Medieval. Cerca de 18h chegamos, os três primeiros e aguardamos os demais tomando cerveja no restaurante. Hoje foi o recorde, acho que 21:30h já não tinha mais ninguém acordado.

3º dia – Três Corações à Baependi – 90 km

O pessoal do trajeto completo saiu antes das 8h, enquando os demais sairam mais tarde, pois iriam fazer a primeira parte de ônibus.

A primeira parte foi bastante cansativa, com uma estrada de terra bem larga, algumas subidas, muitos carros e interminável. Foi nesse trecho que alguns se perderam J Porém, depois entramos numa área de fazendas lindíssimas com vários trechos de single tracks e até presenciamos o nascimento de um bezerro. Como cada pessoa passou num horário tivemos fotos de todas as etapas. Na minha, ele já estava em pé e mamando J

Mas o melhor do passeio estava no final, quase chegando em Baependi há um trecho muito interessante, chamado Cava. Trata-se uma estradinha escavada na terra onde as árvores em suas bordas (5 m ou mais) estão com as raízes expostas quase cainda na estrada. Apesar do local ser um convite para um longo downhill me contive e parei várias vezes para as fotos.

Chegamos em Baependi por volta das 16h ainda com sol para curtir a pousada Cachoeirinha. Na hora do jantar todos levaram suas câmeras e baixamos as fotos no notebook. Foi uma festa ver como cada um registrou o passeio.

4º dia – Roteiro circular em Baependi – 38 km

Como último dia, acordamos um pouco mais tarde, aliás eram só 38 km J

A saída foi dentro de Baependi e não precisa nem falar que quase paramos a cidade. Depois veio uma longa subida até a toca do Urubu, um mirante que dá pra ver Baependi, Caxambu e toda região. Logicamente após a subida veio um tremendo downhill para não deixar ninguém com vontade.

O trecho final era via asfalto até a cidade mas havia um opcional para dar um repeteco na Cava. Não pensei duas vezes, afinal era a change de descer sem se preocupar com as fotos J Voltamos para a pousada, bike no ônibus, banho, almoço e volta para Sampa no maior bate-papo com a moçada. Sem exagero, 95% do assunto foi bike e prova J

Se havia gostado do Crazy 2003 eu diria que esse eu amei, pois foi tudo de bom: bom tempo, boa companhia, boa trilha e organização. Parabéns à moçada ao Mazinho e ancioso pelo roteiro do Crazy 2006.

Veja também:

Crazy Trip 2004

——-
Serviço

Tribo do Pedal Selvagem
Mazinho

Participe! Comente aqui