EcoFotos | Viaje pelo mundo da fotografia

[RJ] Ilha Grande

Minha viagem para Ilha Grande fez parte de minhas férias de abril/2002 e estava em meus planos há muito tempo. Escolhi fazer durante as férias para curti-la com mais tempo e tranqüilidade.

Aliás, nesse ponto acertei em cheio, pois fiquei quatro dias inteiros na ilha, incluindo um final de semana normal (sem feriado) e apesar de tranqüila havia um certo movimento.

:::

Confira a galeria de fotos dessa viagem

O que mais me impressionou foi o número de estrangeiros. Havia pessoas dos mais diversos países incluindo Canadá, Inglaterra e principalmente Israel.

Deixei o carro num estacionamento em Angra e peguei a balsa que demora uma hora e meia para chegar a Vila Abraão, a principal porta de entrada da ilha. Como estava a fim de sossego e não queria gastar muito procurei uma pousada com o mínimo de conforto.

Ao lado do peer no Abraão existe um posto de informação onde se pode escolher a pousada. A sugestão foi a pousada da Paloma, que atendeu totalmente minhas expectativas.

Meu primeiro dia dediquei a uma caminhada de ida e volta até a praia de Lopes Mendes. É um passeio magnífico e pode ser feito por quem gosta de andar.

Nesta noite fiz um mergulho noturno com o Alex (Alejandro Kralich), um instrutor credenciado PADI que vive embarcado, ou seja, nada mais prático. Infelizmente nesse mergulho meu flash deu problema e não consegui nenhuma foto.

No segundo dia fiz um mergulho pela manha, onde aproveitei para rever alguns conceitos básicos de flutuabilidade e conhecer um pouco dos belos pontos de mergulho da ilha. À tarde tentei achar, em vão, a cachoeira da Feiticeira e fui conhecer o antigo presídio passando pela praia preta.

No terceiro dia fiz a trilha de Dois Rios e as ruínas da colônia penal de Cândido Mendes passando pela praia do Caxadáço. Este é outro passeio para quem realmente gosta de andar, pois a trilha leva o dia todo.

Como ninguém é de ferro, deixei o último dia para fazer um relaxante passeio de escuna que leva o dia todo chegando até a lagoa verde e lagoa azul. Lugares fantásticos para a prática de snorkel.

Ciente de que ainda existem muitos lugares para conhecer na ilha, espero poder voltar em breve.

O paraíso existe

Os índios Tamoios foram os primeiros a habitarem a Ilha Grande e a chamavam “IPAUM GUAÇU”. Essa ilha é um santuário ecológico, composto por manguezais, mata atlântica e a baía mais cobiçada do mundo, onde seu ecossistema permanece inalterado. Com 106 praias, a ilha tem 155 km de litoral, vilas distribuídas em seus 187 km2 e está localizada a sudeste de Angra dos Reis.

Neste complexo biológico você conhecerá rios, lagos, enseadas, picos, cachoeiras, manguezais e praias monazíticas. A Pedra d’Água é o ponto mais alto com 1030m, seguido pelo Pico do Papagaio com 990m e o Pico do Ferreira com 740m, este último com pista natural para asa delta. Há caminhos para se chegar às montanhas e todas as praias. As águas minerais se encontram em abundância e são de boa qualidade.

Uma das vilas mais antigas, a Vila do Abraão, oferece serviços de qualidade em hospedagem e alimentação sem causar danos a beleza natural. Venhas descobrir e desfrutar de toda beleza, encontrada somente em uma das ilhas que Angra dos Reis possui: a Ilha Grande.

Fonte: Folheto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Maiores informações: www.ilhagrande.com e www.ilhagrande.com.br

Participe! Comente aqui